Maio, 18 (02/30) – Rue Sherbrooke, Montreal Museum of Fine Arts, Université McGill e vários shoppings

149
Shopping Center  Les Cours Mont Royal

Hoje é de fato meu primeiro dia de passeio completo, ontem foi o dia da chegada e praticamente não comecei a ver a cidade.

Planejei razoavelmente o passeio aqui enquanto ainda estava no Brasil, vou tentar seguir dentro do possível – afinal, não sei o que vai aparecer de bom e inesperadamente pela frente :-). Meu primeiro destino será a região da Rue Sherbrook.

Rue Sherbrook

Ainda na rua em que estou hospedado, Rue Farbre, algumas casas continuam chamando minha atenção pelo bom gosto e beleza.

002

Minha mulher Cecília e minha cunhada Bia também falaram que estão gostando das casas. Esta foto anterior foi uma homenagem a elas.

Peguei um metrô, Line Bleue, e logo depois um ônibus.

006

Tal como no Brasil, todo mundo olhado seu celular.

Se as casas de minha rua impressionavam, aqui nem tenho o que dizer.

007

Marquei para ver aqui o Montreal Masonic Memorial Temple, estou quase em frente.

015

É bem imponente!

018

Há uns trabalhos diferentes, criativos, na rua.

021

Vou enquadrar melhor!

025

Esta Rue Sherbrooke é muito inspirada, as construções são realmente fascinantes. Um edifício em especial se destaca logo à frente.

029

São os appartements Linton, construídos em 1988 segundo uma pesquisa que acabo de fazer agora.

032 034 038

De frente ou mesmo de lado, é um edifício de muito bom gosto!

040

Não vou negar uma certa frustração quando chego em meu próximo ponto planejado, The Church of St. Andrew and St. Paul.

042

A igreja está fechada, certamente meu planejamento não inclui horários de abertura de portas (rs). Mas, tudo bem, é bom olhar do lado de fora.

Melhor ainda porque posso continuar aproveitando a beleza da Rue Sherbrooke.

026

Montreal Museum of Fine Arts

Um dos próximos pontos que planejei é o Montreal Museum of Fine Arts.

043 045 050

Meu planejamento, por enquanto, se resume a apenas olhar o exterior do museu. Não gosto muito de investir meu tempo vendo as obras expostas, prefiro – ainda mais que hoje é o primeiro dia completo de visita à Montreal – usar todos os momentos para conhecer melhor a cidade.

Vou andando.

052

De fato, este trecho da Sherbrooke é chamado de  Golden Square Mile, uma região com vários pavilhões dedicados à arte.

054

Vou me afastar um pouco para melhorar o enquadramento.

057

Uma prova de que estou em uma região dedicada à arte é a Avenue du Musée, local do Le Jardin de Sculptures.

058

É um trecho de rua fechado aos carros dedicado a – atualmente – vinte e duas esculturas a céu aberto.

060 062 064

As construções aqui na rua são um espetáculo à parte.

068

Voltando às esculturas…

070

É tão bonito que atrai gente e … cachorros!

073

Daqui de cima da avenida dar para ver como tudo está ligado ao Montreal Museum of Fine Arts.

075

Vou chegar mais perto!

080

Voltando à Rue Sherbrooke e sua inegável viés artística.

084

Não é demais?

Olha só a casa restaurada, Maison Reid Wilson.

086

Foi construída em 1882. Nossa!

088

Université McGill

Vou entrar em uma das transversais, Rue McTavish, para começar a explorar uma das grandes universidades daqui, Université McGill.

090

Além de começar a ver prédios ligados à universidade, posso apreciar também – ao fundo da foto anterior – o famoso Mont Royal.

091

Até onde entendo, quase tudo aqui está ligado à universidade.

Subir um pouco a rua e olhar para trás é perfeito para ver o contraste entre construções antigas e os arranha-céus que formam Montreal.

093

Subindo um pouco mais.

096

Fico dividido entre a impressionante vista ao longe e a de perto, tão bonito quanto.

094

Entrando um pouco mais nas ruas laterais, o Musée Redpath.

099

Extensão da Universidade MacGill, este museu foi uma construção encomendada em 1882 por Peter Redpath, um industrial e filantropo que fez uma grande fortuna com o açúcar – segundo informação da Wikipedia.

Já que estou no domínio da Université McGuill, vamos aproveitar.

101 102 103

Rue Sherbrooke

Beleza de fazer justiça à rua Sherbrooke, onde estava há pouco e volto agora. 

Olhando de volta para a universidade, Roddick Gatesportais monumentais na entrada principal do campus.

113

Estes portais foram um presente de Lady Amy Redpath Roddick em memória a seu último marido, Sir Thomas George Roddick, reitor da faculdade de medicina de 1901 a 1908.

Que simpática ela, não?

Bem em frente, Avenue McGill College.

105

Fiz a foto porque a avenida me passou uma sensação enorme de espaço. Uma ótima sensação!

Antes de continuar, atravesso a rua novamente para ver uma obra de arte criativa ainda dentro dos limites da universidade.

109

Bom, vamos andando pela Rue Sherbrooke.

111

Além da beleza dos prédios históricos, há o bom gosto do trabalho com a natureza.

112

E também os muitos trabalhos artísticos.

115 120

Antes de continuar, um Tim Hortons, já que ninguém é de ferro.

Tim Hortons é uma grande rede de cafeterias canadense, tal como nosso Fran’s Café ou o Starbucks. É uma instituição canadense, li em algum lugar que você precisa experimentar um deles para realmente poder sentir o Canadá.

123

Entrei eu aqui e pelo jeito todo mundo que estava perto. Muita gente! Mas vou enfrentar a fila com calma e comer algo, estou com fome!

Place Montreal Trust e Le Centre Eaton de Montréal

Não tem como visitar uma grande cidade e não entrar em algum de seus principais shopping centers. Bem aqui ao lado está um dos maiores, Place Montreal Trust.

Vamos entrar!

125

Uau!

Tem até loja do tipo 1,99 nosso no Brasil.

128

Que interessante! Em vez de concorrer com outros grandes shoppings vizinhos, o que acontece é a integração deles. No nível inferior uma interligação com o Le Centre Eaton de Montréal.

129

Mas shopping é shopping, são bastante parecidos. Já andei um pouco por aqui, há muita gente circulando – li que 19 milhões de pessoas entram aqui anualmente – mas vou continuando andando pelas ruas.

Rue Sainte-Catherine

Esta é uma outra instituição de Montreal. A Rue Sainte-Catherine é um dos pontos comerciais mais famosos, andar aqui em plena tarde de sábado é um passeio e tanto!

O pessoal é bem animado!

131 132

Além da animação, a beleza e tradição das construções é inegável.

135 139

Les Cours Mont Royal

Como estou em uma rua comercial, e como hoje parece um dia com muitos shoppings, vamos a mais um, Les Cours Mont Royal.

142

Construído em 1922, aqui era antes o Mount Royal Hotel, 1.100 quartos cinco estrela – o maior na época do império britânico. O hotel tinha grandes escadarias espirais e imponentes lustres. Claro, o hotel não existe mais, mas podemos ver parte deste brilho todo neste prédio restaurado.

145 146 149

Ufa! Valeu a visita!

St George’s Anglican Church

Estou saindo da agitada Rue Sainte-Catherine, repleta de turistas, vou olhar um pouco mais a região ao redor.

151

Andando para lá e para cá, acabando chegando em um dos pontos que planejei visitar, St George’s Anglican Church.

152

Que bom ter entrado!

153 155 157 158 159 160

 Gare Windsor

Saindo da igreja e olhando em frente, um prédio antigo e que me parece uma estação de trem.

161

Prédios assim costumam trazer boas surpresas, vou entrar.

Nossa!

165

Que estranho! Muito grande e … muito vazio!

Vou descer estas escadas!

169

Parece que o prédio todo passou por uma restauração, vejam só os tijolos antigos protegidos aqui no sub-solo.

171

Sem entender ainda o que acontece aqui, vou pesquisar. No site oficial Moments MTL – www.mtl.org – mato minha curiosidade.

Inaugurada em 1889, a Gare Windsor foi um ponto essencial do transporte ferroviário. Foi designada local histórico do Canadá em 1975, patrimônio ferroviário em 1990 e monumento histórico em 2009. Considerada como um dos mais belos exemplos da arquitetura neo-romana no Canadá, hoje não é mais uma estação de trem, mas um inegável patrimônio histórico.

Vou mais é aproveitar e andar por aqui.

172

Embora não mais utilizada como estação, a integração com as estações da região é completa.

174

E este grande túnel, vai até onde? Vamos ver!

175

Ah, vai até o Centre Bell, um dos mais idolatradas ginásios de Montreal.

176

Preciso olhar a estação de fora mais uma vez.

179

E mais uma vez também a St George’s Anglican Church.

180

Esta foto e a seguinte mostram a renovação constante de Montreal, um prédio histórico como este da igreja cercada por modernos arranha-céus.

183

Christ Church Cathedral

Na programação que fiz para hoje, há um concerto de violão clássico na Christ Church Cathedral. Será às 16h30, ainda tenho um certo tempo para passear um pouco mais.

182  184

Quer contraste? Vejam só este cercando a Basílica-catedral de Marie-Reine-du-Monde.

186 188

Deu uma vontade enorme de entrar na igreja, mas vou deixar para outro dia, tenho o concerto daqui a pouco. Vou continuar andando!

Este é o Boulevard Robert-Bourassa, uma região que passou por obras recentes.

192

É um trecho de aproximados 600 metros com obras de renomados artistas.

Cheguei à Christ Church Cathedral.

193 194

O concerto está confirmado!

198

Entro e aguardo. Enquanto isso, algumas fotos disfarçadas, já que todos estão aqui para ouvir a violonista famosa.

199 201

Confesso que não gostei muito. Outro dia em São Paulo ouvi um concerto para dois órgãos na Catedral Evangélica e fiquei até emocionado. Mas violão clássico é um pouco lento para meu gosto.

Place des Festivals

Um dos locais que mais despertou minha curiosidade e vontade de visitar foi Place des Festivals. É um espaço público destinado aos mais diferentes tipos de atividades artísticas, vou para lá agora.

Enquanto isso, as surpresas no caminho merecem atenção, como por exemplo agora a St. James United Church.

202 207

Está havendo um evento pago agora, um concerto, achei melhor não entrar. O irônico é que ontem houve outro concerto, Souls of Brazil, eu bem que poderia ter dado meu testemunho (rs).

Cheguei à Place des Festivals. Ruas fechadas para os carros…

208

… pessoas e grupos representando e dançando …

210

… edifícios para lá de impressionantes …

211

… e, recuando um pouco mais nesta última foto, uma obra de arte temporária!

213

Vale a primeira selfie da viagem.

219

Passo em frente  ao Place des Artes, um local fechado específico para eventos. Vou entrar!

228

Impressionante. Enorme. Em algum outro momento volto, se der tempo. Prefiro priorizar o que há lá fora, como por exemplo mais esta intervenção artística temporária…

229

… os dois jogadores estão realmente concentrados.

Montreal Pool Room 

Vejo no mapa que criei no Google Maps um local muito bem vindo neste momento – estou com fome – é o Montreal Pool Room.

234

Aqui é servido um prato tradicional do Canadá, o poutine. Não é um poutine a la carte, mas para viagem. No entanto, o Montreal Pool Room é tradicional, existe há mais de 100 anos, tenho que entrar.

Eu e mais muita gente!

231

O prato é para viagem, mas há balcões para comer. Que bom!

232

poutine nada é mais é do que batatas fritas, queijo coalho e um molho especial de carne quente que cobre tudo. Dizem que é muito bom, vou experimentar agora o meu!

233

Confesso que esperava um pouquinho mais, o queijo coalho aparece demais. Ele é meio sem gosto, o molho especial jogado em cima não compensa a falta de gosto. Mas achei muito bom experimentar, estou realizado por experimentar meu primeiro e famoso prato canadense.

Na saída, a comprovação dos 100 anos de vida!

259

Como aqui é a região de espetáculos e shows, está acontecendo agora um evento com bandas, é o Pouzza Fest, um festival de punk rock. Não é exatamente o que gosto de ouvir, mas preciso ir lá ver.

240

Há muita gente aqui!

236

Muito truck food!

237

Muito show!

239

Vou andar um pouco mais! Volto à Place des Artes!

242 243

Demais. Não resisto a mais uma selfie próximo a uma das inúmeras fontes que existem aqui.

247

Vou continuar o passeio!

250 252 253

Agora não é mais uma selfie, mas preciso registrar esta obra de arte … canina!

257

Haverá um projeção ao cair da noite no Champ-de-Mars. Embora seja mais de 19h, aqui está escurecendo depois das 20h, não sei se está acontecendo a projeção agora. De qualquer forma, vou lá ver.

No caminho, passo por Chinatown.

265

Interessante na foto anterior é portal de acesso à Chinatown – à direita – e um limpador de vidro de carro – à esquerda. Tal como no Brasil.

Cheguei ao Champ-de-Mars.

266

Tudo preparado para projeção nesta grande parede, o projetor está bem no canto inferior esquerdo da foto.

268

Mas ainda está claro, nada de projeção. Estou cansado, preciso descansar para o dia de amanhã. Vou embora, meu corpo pede. Até amanhã!

4 comentários sobre “Maio, 18 (02/30) – Rue Sherbrooke, Montreal Museum of Fine Arts, Université McGill e vários shoppings

  1. Gostei deste 1º dia de passeios. Muito simpático o cachorrinho amarelo.
    Tudo grande né ?
    Bom passeio

    1. Ci, todas as cidades que tenho visitado até agora parecem gostar de tudo muito grande. Você tem razão, Montreal também é assim. Ah, quando tirei a foto com o cachorrinho amarelo, certamente eu estava pensando no que você iria achar! 🙂

  2. Iniciando a minha “viagem ao Canadá “, me valendo dos seus relatos!
    Assim como a Cecília, gostei muito do formato das casas… bem interessante! Assim como a Place des Artes… O jogo de xadrez, em plena rua… sensacional.
    Tenho certeza que será uma viagem mto boa!

    1. Prima, você disse que iria viajar comigo em algum momento e hoje começou. Que bom! Tenho certeza de que você gostará bastante. Como eu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *