Maio, 20 (04/30) – Marché Jean-Talon, Saint Lawrence Boulevard, Mile End, Old Montreal e o imperdível show de luzes na Notre-Dame

247
Show de luzes na Basilique Notre-Dame de Montréal

O passeio hoje começa com uma caminhada de uns 30 minutos, vou ao Marché Jean-Talon, um dos mercados mais badalados de Montreal e razoavelmente perto da casa em que estou hospedado.

Provavelmente seria menos do 30 minutos, mas eu fico parando no meio do caminho para fotografar  o que acho interessante (rs).

Não falei? Olha aí estas casas com escadas na frente!

002

Li em algum lugar que esta é uma cena típica de Montreal, casas com escadas assim fazem parte da tradição da cidade.

003

Marché Jean-Talon

Fotografando e andando, chego ao Jean-Talon.

006

A entrada até estava meio simples, mas aqui dentro o visual muda completamente.

007 010

Aqui eles têm o hábito de picar as frutas e deixar à disposição dos clientes para degustação. Nem preciso dizer que experimentei várias delas (rs).

011

Também experimentei o famoso sirop d’érable.

013

Eu estava curiosíssimo para saber como era o gosto, já havia lido muito sobre o assunto antes de vir para cá. É um xarope de maple, produzido com a seiva da árvore que têm folhas como a que estampa a bandeira do país. Dele, são fabricados açúcar, balas, manteiga e outros.

Little Italy

A vizinhança do mercado é formada por muitos restaurantes italianos, formam a Little Italy de Montreal.

014 015

Estou caminhando pela Boulevard Saint-Laurent, uma grande e famosa avenida da cidade. Como estou na contra-mão do carros, agora vem a confirmação, eu estava mesmo na Little Italy.

019

Além do arco de boas-vindas, o nome do parque é Parc de la Petite-Italie.

Mile End

É um nome famoso atrás do outro, eu também já havia lido sobre Mile End, onde vim parar agora andando pela Boulevard Saint-Laurent.

020

Mile End é um distrito do bairro Plateau-Mont-Royal, outro nome que aparece muito nos textos turísticos sobre a cidade.

St-Viateur Bagel Shop

Vim parar na Rue Saint Viateur Ouest, um dos pontos de minha lista sobre o que ver hoje. Quis vir aqui não pela Church of St. Michael and St. Anthony

021

…que está fechada, mas porque nesta rua fica a famosa St-Viateur Bagel Shop.

022

O pessoal aqui gosta muito de bagel, esta padaria é uma das mais badaladas. A fila na porta confirma. Não gosto de filas, mas essa eu não posso perder.

024

Até que a fila andou rápido, comprei meu primeiro bagel canadense.

025

Estava fervendo, acabado de sair do forno. Experimento com gosto!

E aí, comendo e andando, vou apreciando a região. As casas e prédios aqui são diferentes daquelas da região em que estou hospedado. Parece até outra cidade! Mas igualmente de bom gosto!

026 027

Olha só este condomínio.

030

Nesta caminhada, acabo chegando ao Mont-Royal, local em que estive ontem. Não tinha ainda percebido que era razoavelmente perto da casa em que estou.

033

Por falar na casa em que estou, a Aline – a proprietária – trabalha no Beauty’s, vim parar na frente – sem querer, não foi planejado.

034

Até tenho vontade de entrar, falar um bonjour, mas há muita gente na porta, não quero que pensem que estou furando a fila.

Passo pelo Boulevard Saint Joseph, extremamente amplo. Por isso faço questão de fotografar.

036

Este  é o Park Lahaie, ao fundo a Église Saint-Enfant-Jésus du Mile End.

039

Lindo o parque, uma sensação enorme de calma e paz.

Ah, a propósito, não guardo e nem anoto estes nomes todos. No momento de escrever o post, repasso o caminho olhando o Google Maps. O que seria de mim sem esta ferramenta!

Esta é a Avenue Laurier, ao fundo o sempre presente Mont-Royal.

041 042

Entro agora na Avenue Fairmount, está aqui um local que estava procurando, Wilensky’s Light Lunch.

É um restaurante simples, pelo que li. O sanduíche principal é o Wilensky, um pão tipico com pastrami e queijo, mostarda opcional. No texto que encontrei, a autora falar “é muito bom, de verdade”.

043

Pois é, hoje é um feriado, Victoria Day. Parece um feriado simples, quase ninguém deixa de trabalhar – a não ser o Wilensky, que está fechado. Pode isso?

Ah, mas nem tudo está perdido, minha fome será resolvida. Alguns metros à frente há uma fila em frente a uma porta, estão vendendo gnochi para viagem. É nesse mesmo que vou, até porque há muita gente, deve ser bom!

047

O visual é lindo!

049

O gosto também! Um almoço e tanto!

Fairmount Bagel

Há algumas grandes padarias famosas aqui pelo seu bagel, uma é a St-Viateur Bagel Shop – aquela em que estive há pouco – a outra está bem aqui ao lado, Fairmount Bagel.

050 052

Pela fila – mais uma fila, como há filas por aqui – dá para ver que o local é disputado.

Claro, desta vez não vou entrar. Acabei de almoçar e há pouco comi um bagel. Preciso manter a forma!

Um cuidado muito grande que tenho observado é com as bicicletas, é um meio de transporte muito valorizado e utilizado. Agora mesmo estão construindo em uma das transversais aqui uma ciclovia.

044

Não é uma ciclovia tímida como as que temos em São Paulo, mas uma bem explícita, com parte da rua reservada com canteiro para as bikes.

Le Réseau-Vert

Olha aí mais uma prova do cuidado com as bikes. Passo agora pela Réseau-Vert, um caminho construído ao longo de uma antiga linha de trem – algo semelhante com a High Line de Nova York.

056

São três quilômetros restaurados e repaginados destinados não só aos ciclistas, mas também corredores e pedestres. Uma motivação e tanto para o exercício.

Tem até obras de arte, esta se chama Conversphere. Fiquei até curioso, mas a placa explicativa ao lado está … pichada. É, vândalos existem no mundo todo!

057

Pronto, já andei bastante por esta região. Vou agora para um outro lado da cidade.

 

Place d’Armes

Peguei a linha 55 de ônibus e já estou na Place d’Armes.

067

É um dos pontos mais visitados na parte velha da cidade.

Tem que ser, os prédios aqui são mais do que belos. Este ao fundo ao direita é o BMO Banque de Montréal, à esquerda o Musée de la Banque de Montréal.

060

Vou chegar mais perto.

090092093

Em um dos cantos da praça, um arranha-céu, 500 Place d’Armes.

061065

Olha só que interessante as estátuas em cada canto na frente do prédio.

101098199206

Uma placa aqui informa que estes ingleses carregando seus cachorros estão esnobando a Notre-Dame, símbolo da influência religiosa no Canadá. Inspiradas em obras de Hugh MacLennan, estas duas estátuas mostram ironicamente a distância cultural entre canadenses e ingleses. Ironicamente, mesmo em extremos opostos do prédio, os cães estão olhando um para o outro.

Cultura nunca é demais!

No lado oposto, dois ícone históricos, o Édifice New-York Life à esquerda e o Édifice Aldred à direita.

096

São bonitos demais! Vou chegar mais perto do Édifice New-York Life.

069

E por fim, e certamente o mais importante, Basilique de Notre-Dame de Montréal.

094073

Ah, essa merece selfie

083

Outra selfie!

078

Haverá um show de luzes daqui umas quatro horas na Notre-Dame, já comprei meu ingresso e vou aproveitar – comemorar, na verdade – este tempo para andar pela região.

Ao lado da igreja, o seminário Prêtes de Saint-Sulpice.

105

Os prédios são bem imponentes.

106 107

Este segundo, pela fachada na porta principal, deveria estar ligado aos correios da época.

108

Este é o Centaur Theatre.

109 112

Ninguém é de ferro! Estou ao lado de uma sorveteria, nem penso em resistir. Vou entrar!

116

Sabor abacaxi com gengibre.

117

O passeio continua, com picolé na mão!

118

Já estou um pouco afastado da Notre-Dame, mas ela continua presente!

121

Place d’Youville

Continuo andando tranquilamente pela região, vim parar agora na Place d’Youville, uma das três grandes praças da Old Montreal.

122

Na frente da praça, Montreal History Centre.

123

Andando um pouco mais pela praça, vejo ao fundo o Gérald Godin Building.

125

Li que é um prédio muito bonito por dentro, é possível visitar pelo menos a recepção. Mas uma placa na frente informa que os serviços de imigração, prestados antes aqui, foram transferidos. O prédio está fechado! Que pena!

Mas, tudo bem, a região compensa. O Gérald Godin Building fica na frente da Place d’Youville, bem na McGill Street. E esta rua é uma verdadeira aula de arquitetura antiga.

McGill Street

126

Detalhe importante, aqui também a ciclovia tem vez.

128 129 130 131 133137 139

Curioso! Mesmo os prédios mais modernos – acho que este da próxima foto é um deles – o bom gosto e beleza prevalecem.

140 141

Cheguei à Victoria Square, destaque para um arranha-céu bem em frente!

144

World Trade Centre Montréal

Quando preparei a viagem para Montreal, li um texto sobre o World Trade Centre Montréal. Aqui também fica a Ruelle des Fortifications, famosa porque no século 18 a rua abrigava parte da muralha que protegia a cidade de Montreal. Pois bem, pensando em preservar a história do local, todos os prédios desse quarteirão foram restaurados e construiu-se um teto de vidro imenso entre eles, criando assim em 1992 um complexo de prédios chamado World Trade Center.

Teto de vidro? Sobre edifícios restaurados? Ah, preciso ver! Vou entrar!

148

Uau!

150

E não é só teto de vidro, aqui também está a Fonte de Anfitrite e o seu belíssimo espelho d’água.

153

O fundo de granito preto reflete as fachadas antigas, é muito bonito!

157

Vamos andar por aqui.

154 156

Tem mais, olha só, um fragmento do Muro de Berlim.

165

Foi um presente da cidade de Berlim em 1992 pelo 350º aniversário de Montreal. Esse pedaço do muro ficava próximo ao Portão de Brademburgo.

Vamos ver o outro lado da peça.

168

Puxa, nem dá vontade de sair daqui. Mas há muito o que ver, vamos em frente.

Na saída do World Trade Center, uma boa ideia dos prédios que formam o complexo.

173

É uma surpresa atrás da outra, vim parar no Palais de Congrés de Montréal, a fachada translúcida é uma homenagem aos vários países do mundo que aqui fazem suas exposições.

183

Antes de entrar, um passeio na praça em frente, Place Jean-Paul-Riopelle.

184

Não consigo entender o significado da obra, sei apenas que gosto do que vejo.

Vamos entrar no palácio de congresso.

185

Puxa! Que sensação de espaço!

Está acontecendo agora uma competição de montagem de robôs! Há muita gente com seus notebooks e protótipos automatizados andando para lá e para cá!

187

As fotos aqui foram poucas, mas fiquei um tempão no palácio. É muito grande!

Agora estou na Parc de La Presse, uma praça doada pela empresa Power Corporation du Canada, vizinha à sede do primeiro jornal francês na América.

Na praça há uma escultura bem chamativa, Les Touristes.

188

Foi doação da cidade de Paris por ocasião do 375. aniversário de Montreal.  A obra representa a chegada dos primeiros franceses à Montreal e também a continuidade da relação entre os franceses da América e os franceses da Europa.

Interessante, mas fico até meio constrangido, ninguém dá a menor confiança para a obra. Fico até sem jeito de fotografar, mas vamos a mais uma só.

189

O passeio pela região continua.

192 195

Esta próxima foto mostra um prédio de um banco antigo.

214

Outro banco, com imponentes colunas.

217 218 220 225 227 228

Aqui, um belo exemplo de restauração, o prédio do antigo Royal Bank of Canada. Construído entre 1926 e 1928, o térreo hoje abriga famoso café de Montreal, o Crew Collective & Cafe.

237

Vamos entrar!

230

Puxa! É lindo demais!

231

O café está fechado, mas dá para ver o piso de mármore e o lustre preservados.

232 233 234

Detalhe importante, o nome do espaço – Crew Collective & Cafe – diz tudo sobre este espaço. Aqui não é só um café, mas uma área de trabalho coletivo. Você pode trazer seu notebook e trabalhar aqui, há wifi e inclusive o cliente ganha um bônus se fizer o pedido pelo site. Tecnológico, criativo! Gostei MUITO!

Vamos a mais um foto rápida antes do último evento do dia!

239

Aura na  la Basilique Notre-Dame

Uma estratégia muito boa para valorizar uma igreja e sua riqueza de obras expostas é o destaque. Então, a Notre-Dame exibe um show de luzes que destacam e valorizam altar, estátuas e tudo o que há no interior da igreja.

Comprei meu ingresso há algumas horas, hora de apreciar o show.

Primeiro, para entrar no clima, 20 minutos para você sentar, relaxar e apreciar as primeiras imagens e som.

242 243 247

Depois, mais 20 minutos de show de luzes e som. Não é possível filmar ou fotografar estes momentos – nem poderia, temos mais é que aproveitar o que está acontecendo. Mas, para você ter uma ideia do que vi, aqui está um breve filme exposto pela própria Notre-Dame no YouTube.

Demais! Um belo término de dia de passeio!

4 comentários sobre “Maio, 20 (04/30) – Marché Jean-Talon, Saint Lawrence Boulevard, Mile End, Old Montreal e o imperdível show de luzes na Notre-Dame

    1. Ah, esse eu não iria perder, principalmente quando você me mostrou aí no Brasil um vídeo que viu. Foi realmente excelente, ainda bem que você estava atenta! 🙂

  1. Como deve ter sido interessante o show de luzes@
    Mas, o que eu queria destacar, é a certeza de que vc gostaria mto de trabalhar é no espaço restaurado do Royal Bank oferecendo Canadá… rsrs… até eu!

    1. Prima, você tem razão, razão dupla. Primeiro, o show de luzes foi mesmo muito interessante. Segundo, seria uma oportunidade e tanto trabalhar neste espaço do Royal Bank. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *